22 de outubro de 2016

Tal pai tal filho ;)


Aquele momento em que te apercebes que está toda a gente a olhar para ti… visto que tens os “phones” mal postos no telemóvel e, o que estás a ouvir (e a dançar!)… os outros também estão a ouvir.  P***!Deixa lá ;) comigo já aconteceu o mesmo... a meio de um treino e ainda por cima a fazer da garrafa de água o microfone. Que p**** !!

:)
:)

Tudo de bom.

;)

19 de outubro de 2016

E as mulheres bonitas.

Eu já disse algumas vezes e volto a repetir:
Gosto de agendas, canetas e… mulheres bonitas.



Não perguntem porquê, mas acho que têm muito em comum… as agendas, as canetas e as mulheres bonitas.

Imagens Google

Tudo de bom!
:)
;)

13 de outubro de 2016

Obrigado, Baixinho!

Conheci-o há muitos anos, muitos mesmo, era eu um miúdo ainda de calções, quando comecei   a cruzar-me com ele. Era pouca a distância do local onde eu morava para a casa dele, que era ao lado da casa onde moravam familiares meus.


Ás vezes eu brincava no quintal desses familiares, e ás vezes devido ao entusiasmo da brincadeira, ou melhor, do jogo, lá ia a bola para o outro lado precisamente o quintal do Sr. Fernando, como era conhecido.

Uns anos mais tarde, já eu trabalhava e estudava, comecei a “reparar” na filha dele… mas ela não queria nada comigo, talvez por causa dos meus longos cabelos, preferências musicais e alguns pormenores que ia sabendo pelos meus familiares que moravam ao lado.

Pouco depois e no calor de lutas políticas logo a seguir ao 25 de Abril, começamos a cruzar-nos mais vezes e do mesmo lado da “barricada”. Nessa altura ainda era para mim, o Sr. Fernando, um homem de estatura pequena, mas enorme de postura, educação e amigo.

Gostava de música de intervenção (era amigo pessoal de alguns nomes conhecidos), ouvia também alguma música clássica, adorava Deep Purple, Rolling Stones, Black Sabatta e Pink Floyd! Um autodidacta, amigo do seu amigo, que adorava conversar  e estar rodeado de malta fixe como ele dizia.
Para essa malta fixe era conhecido e tratado carinhosamente por ‘Baixinho’.


O Baixinho foi para mim, juntamente com o meu avô materno, uma referência, um ídolo e muitas vezes (nunca lho disse) um pai.

Anos depois no dia do meu casamento (com a filha dele … a tal que não me ligava nenhuma), e enquanto me dava o primeiro abraço como meu sogro, disse a sorrir: «olha o que me havia de calhar na rifa!»

Obrigado Baixinho por teres feito parte da minha vida. Estou grato pelas nossas  vidas se terem cruzado. 

Tudo de bom.

:)
;)

'Shine on you crazy diamond.'




3 de outubro de 2016

E tu a tomares banho

(Ainda o mês de Setembro)

Ai Setembro, Setembro!

Aquelas noites na praia, as caipirinhas, a sangria, o calor, o mar, as tostas (oh yeah),o protector solar, o sol, o rio, o peixe, as bolinhas, e as conquilhas, as conquilhas!



Ai Setembro, Setembro!


As minis, as menos minis e as nem por isso… o chocolate, os fins de tarde, o sol a nascer e tu... tu  a tomares banho, tu a tomares banho qual sereia de outro mundo que me veio raptar….
E o pão quente acabadinho de sair do forno? Ai minha mãe, que tentação, que loucura!


Ai Setembro, Setembro!

Os gelados, os pasteis de massa tenra, o vinho maduro, os cálices de Porto e a amarguinha com limão (alcoólicos!).

A muxama… o queijo, o polvo e tu… tu a saíres do banho, tipo contra luz… “tás a bere?”


Ai Setembro, Setembro!

As caminhadas, as “conversas com o senhor”, as sopas, as saladas e os gatos, os gatos! E os cães, os galos as galinhas e as ovelhas. Sardinhas assadas, pimentos e o café com cheirinho, claro!


Ai Setembro, Setembro!

Noites quentes, dormir por cima dos lençóis, de janela aberta, o cheiro do creme hidratante,

e tu… tu a saíres do banho. Não… ainda estás no banho e eu continuo à espera.


Tudo de bom.

:)

;)