29 de dezembro de 2017

Um pouco de tudo

E de mansinho, devagar devagarinho, eis que chegamos ao final do ano.
Foi tudo (ou quase tudo) muito rápido, sem preliminares, e num abrir e fechar de olhos temos nos nossos braços um ano novo… que queremos gozar em duodécimos, da melhor forma possível.

Deste ano que agora se apaga e passa à história, houve um pouco de tudo… e mais tempo houvesse. Desafios concretizados, uma primeira vez, tempo de feriar e aniversário especial.

Que o Ano Novo seja a continuidade de um bom ano.



Para todos, tudo de bom!

😉💓💗

12 de dezembro de 2017

É Natal, ninguém leva a mal...


A jovem oferece o lugar sentado no metro, o mal encarado dá os bons dias, o automobilista pára na passadeira, o balconista pergunta “em que posso ajudar”, o empregado sugere, ela sorri, ele cumprimenta… algo se passa, ou como diz o outro, «É Natal, ninguém leva a mal».

E por falar em Natal… já sabem o que vou dizer a seguir… exacto, vou de férias (daqui e não só), como habitualmente faço nesta altura do ano. Sendo assim desejo a todos os meus amigos, conhecidos e restantes visualizadores e seguidores, que tenham um mês de Dezembro fenomenal e muita Paz, Saúde, Dinheiro e Amor no ano inteiro.


Tudo de bom!
💖😉🌲

4 de dezembro de 2017

Rosé... Ou não


 

A viagem foi um pouco … má. Decididamente eu detesto andar de avião, e desta vez a turbulência deixou-me com os (poucos ) cabelos em pé. 
Cheguei inteiro é o que interessa, e ver-te à minha espera de braços abertos, com aquele sorriso enorme foi  mais que suficiente para passar todo o medo (e os tremeliques). Um beijo  fez o resto.

Eu sabia que ainda tínhamos  que apanhar uma ligação de avioneta (autocarro seriam mais 4 horas de viagem… nem pensar), para a localidade onde vives, mas estava por tudo… e pronto para tudo.

Pelo caminho fui alertando que não tive oportunidade de meter na mala muita coisa, muito menos algumas recordações gastronómicas da nossa terra… estás cá tu é o que  interessa.
Os dias não são muito fáceis quando se está longe de casa,  e as missões nem sempre correm como deviam correr… é num misto de emoções que se vive, um dia de cada vez., mas é para isso que estou/estamos cá.  E fico grata por estares aqui… no meu mundo.

A farda ficou de parte (mas confesso que te fica muito bem… a farda) , por isso foi com aquelas calças de ganga e uma blusa  que comprei em Portugal  para te oferecer (claro que ainda me lembro do teu número) que “apareceste” para jantar, jantar esse que foi da minha inteira responsabilidade.

Tudo pronto… quando reparo que falta algo de muito importante, o vinho….
- E agora? Um jantar destes sem vinho?
- Quem disse que não temos vinho? … Serve Rosé?
- Qualquer um…
- Rosé então.
- Ainda te lembras….
- Há coisas que não se esquecem….
- Olha, a luz foi abaixo.
- Por aqui acontece muitas vezes. Não te preocupes… ajuda-me acender estas velas.

...
Hoje não quero ouvir o ruído do gerador.

Imagens Google